Já deu a sua desacatadinha hoje?

“É quase meia-noite
Algo maligno está espreitando na escuridão”
Thriller – Michael Jackson

Para um simples transeunte que por acaso passasse nas proximidades do Diretório Central dos Estudantes (DCE) na UFSC no dia 12 de maio de 2010, o que se fazia ali poderia ser muita coisa, menos uma reunião com pretensões políticas que afetariam a cidade de Florianópolis nos próximos dias.

O que se via ali era uma assembléia com uma dinâmica caótica, conduzida por pessoas que em sua maioria tinham menos de 25 anos, e que foi finalizada com um ensaio de passinhos baseados na música “Thriller”, de Michael Jackson.

É esta a áurea que se percebe nas assembléias da Frente Única pelo Transporte Público de Florianópolis, que se desenvolvem procurando avaliar os acontecimentos passados e projetando os próximos passos das manifestações contra o aumento de 7,3% no preço da passagem do transporte público da cidade.

As manifestações começaram no dia 8 de maio, e pelo andar da carruagem (ou melhor, do latão), vão se prolongar por mais tempo, já que tanto os empresários que controlam o transporte público, quanto a prefeitura da Capital catarinense, parecem mais empenhados em desmobilizar os protestos do que em encontrar uma solução para sua causa.

Estas tentativas de desmobilização se evidenciam de várias formas, seja na mais básica demonstração de poder repressor da Polícia, até o engendramento de ações judiciais voltadas para os manifestantes, além, é claro, da criminalização do movimento social pela mídia corporativa.

Durante o que pode ter sido o primeiro mês de manifestações, os atos ocorreram todos os dias úteis, com ações descentralizadas (como bicicletadas, teatro de rua e “catracassos” – atividade em que várias pessoas pulam a catraca dos terminais e ônibus sem pagar) nos bairros e manifestações com no mínimo 2.000 e no máximo 6.000 pessoas no centro da cidade, geralmente nas quartas e quintas-feiras. Os finais de semana têm sido usados para se fazer a avaliação e planejamento do movimento, em assembléias que reúnem no mínimo 100 pessoas.

Pique-Esconde

Obviamente, toda esta situação não está sendo bem recebida pelos administradores da cidade, e, consequentemente pela Polícia Militar, cada vez mais impaciente com o fato de ter que brincar de pega-pega com um bando de garotos e garotas pelas ruas da cidade. “Uma mega-operação e ninguém vai preso”, comenta um policial ao colega. “Nenhuma bomba de gás foi lançada, nenhum gás lacrimogêneo” declarou à imprensa o Tenente-coronel Newton Ramlow no dia 27 de maio, durante uma das manifestações no centro.
De fato, coincidentemente com o ano eleitoral, a Polícia Militar (até aquele momento) agiu de forma diferente dos outros anos em que este tipo de manifestação aconteceu. Isso apesar das claras mostras de impaciência dos policiais – “Está olhando o quê? Está olhando o quê?”-, pergunta aos berros um PM montado em sua possante motocicleta, dirigindo-se a um bando de garotos de uns 13 anos, no meio da rua.

A cada manifestação o contingente de PMs, Grupos de Resposta Tática e até Polícia Montada aumenta. São, pelo menos, 550 policiais, cachorros, muitas viaturas e até helicópteros sobrevoando as manifestações, o que provoca uma reação imediata na população de Florianópolis; existem dúvidas se esta é o tratamento adequado, e até mesmo, paradoxalmente, temor em ver tanta força bélica espalhada pelas ruas.

Anúncios

Sobre pmizraji

Caput necandus est. Cadaver acqua forti dissolvendum nec alicquid retinendum. Tace ut potes.

Publicado em junho 16, 2010, em Colunas - Venus Genetrix. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: